Como fazer a organização financeira do seu ateliê!

3
Como fazer a organização financeira do seu ateliê!

Olá meus queridos e queridas, espero que estejam aproveitando muito o tempo com suas máquinas de costura Janome!

Porém, hoje o tema exigirá mais do caderninho e calculadora do que da sua parceira de costura.

Mas não se desespere, esse assunto é importante para que vocês possam ir longe e por muito tempo, então, fica com a gente, e vamos aprender um pouquinho sobre saúde financeira!

O seu negócio

Tenho certeza que muita gente aqui arrasa na costura, criando trabalhos detalhados e de altíssima complexidade técnica.

Assim como devem ter alguns que atendem um grande volume de serviços mais simples e até mesmo aquelas que costuram por hobby, mas fazem vários servicinhos para os amigos e famílias, certo?

Se você está em algum desses grupos ou ganha algum dinheiro com a costura, você tem um negócio, simples assim.

E não importa se você tira 20, 200 ou 20.000 reais por mês, se faz para sobreviver ou para curtir, a costura é um serviço que você presta e deve ser reconhecido como tal.

Afinal, nada mais justo do que ter o seu trabalho reconhecido.

Despesas

Estando nos grupos citados acima, existe algo muito importante para entender sobre seus serviços: eles custam dinheiro para serem feitos.

Mesmo que você não perceba, existe uma série de fatores, que mesmo no servicinho mais básico estão se aplicando, você percebendo ou não.

Por exemplo, a energia elétrica que alimenta sua máquina de costura Janome tem custo, assim como a linha que você usa, o desgaste e manutenção da sua máquina e, não menos importante, o valor do tempo que você gasta com sua máquina para executar a tarefa, ou seja, sua hora de serviço.

Todos esses valores estão contidos no serviço que você realizou para alguém e devem ser devidamente reconhecidos.

Gastos fixos

Os gastos fixos são aqueles que, independentemente do volume de produção, continuam sempre os mesmos.

Geralmente são as contas como, aluguel, telefone, funcionários, segurança, manutenção das máquinas, limpeza entre outros, podendo ser incluídos água e luz.

Claro, essas contas não são imutáveis e podem sofrer algumas variações, porém, são inconstantes e geralmente sazonais.

Entender o custo fixo é saber que existe um valor, que independente do seu volume de serviço, terá que ser pago mensalmente.

Gastos variáveis

Essa categoria representa os custos diretamente atrelados ao seu negócio e variam de acordo com a sua produção.

Por exemplo, tecidos, linhas, agulhas, cola, alfinetes entre muitos outros que podem compor a sua tarefa.

A conta de luz, por exemplo, se for influenciada em muito pela sua produção pode se tornar um gasto variável, assim como funcionários temporários, contratados para épocas de grande demanda.

Margem e segurança financeira

Agora que entendemos como os gastos funcionam, vamos aos lucros.

Quando fazemos uma peça, todos esses custos estão embutidos nela, e sobre esses custos podemos calcular a nossa margem de lucro.

E por calcular, eu digo, vamos relembrar um pouquinho de matemática.

Para trabalhos simples e padronizados podemos calcular o custo por peça, da seguinte forma:

Custos fixos + Custos Variáveis / Número de peças (média mensal de peças produzidas) = Custo por peça.

Ou seja, somamos os custos e dividimos pelo número de peças, tendo assim o valor gasto em média por peça produzida.

Se você possui peças especiais que demandam mão de obra e materiais diferentes, terá que fazer esse cálculo à parte.

Podemos calcular dessa forma:

1 – Custos fixos por peça = Custo fixo/Número de peças;

2 – Valor por hora: Esse preço é subjetivo e é avaliado pela experiência do profissional, uma forma de ter uma base é pesquisar quanto um profissional de costura iniciante e um sênior ganham e avaliar o seu nível de experiência.

3 – Custo variável da peça = valor somado do material, mão de obra e outros fatores que tenham sido utilizados nessa peça em específicos.

4 – Custo da peça especial = Custo fixo por peça + Custo Variável da peça.

Margem de lucro

Ao saber o custo operacional do seu ateliê de costura, é possível aplicar a margem de lucro.

Aqui é importante saber por qual valor peças similares em qualidade vendem normalmente no mercado e vale a pena fazer uma boa pesquisa.

Por exemplo, se uma blusa te custa R$50 para produzir e produtos similares vendem na faixa de R$100 no mercado local, você pode tranquilamente aplicar uma margem de lucro de 90 a 100% em cima do seu custo.

Acompanhamento

Por fim, é importante fazer o acompanhamento mensal dos seus custos e margem de lucro para poder ajustar seus preços de acordo sem prejudicar sua relação com o cliente e a saúde financeira do seu negócio.

Empreender é uma tarefa árdua, porém, recompensadora e irá te trazer muitos conhecimentos multidisciplinares, que te permitirão continuar costurando com prazer sabendo que tem um negócio financeiramente saudável e controlado.

Desejamos muita sorte nas vendas, e lembrem-se de serem sempre responsáveis!

Janome, Apaixone-se!

54321
(0 votes. Average 0 of 5)
Leave a reply